Como funcionam os tubarões-duende

tubarões

Há muitas coisas sobre os tubarões-duende que os cientistas não sabem. Mas uma coisa é inegável: os tubarões-duende têm uma aparência desagradável. Embora seja difícil encontrar uma pessoa que adore o aspecto de qualquer tubarão, os tubarões-duende se destacam como os patinhos feios da família.

O nome científico da espécie é Mitsukurina owstoni e, ao contrário de seus primos mais predatórios, os tubarões-duende representam pouca ameaça aos humanos e geralmente nadam em águas muito profundas, o que dificulta o contato com as pessoas.


goblin shark model
Peter Halasz
Modelo raro tubarão-duende, em exposição no Museu de História Natural em Viena

Então, o que há com os tubarões-duende que causa estranheza? Olhos grandes e redondos, um focinho enormemente achatado e mandíbulas retráteis desenham uma face bizarra que você poderia facilmente ver em uma pintura de Picasso. O nariz alongado cria uma estranha proporção facial como se a boca tivesse esquecido de alcançá-lo. Três fileiras com cerca de 25 dentes (em inglês) curvos parecidos com agulhas forram suas gengivas superiores e inferiores [fonte: Museu de História Natural da Flórida (em inglês)]. Suas mandíbulas também assentam estranhamente em sua face devido a um conjunto duplo de ligamentos que permitem ao tubarão-duende estendê-las e retraí-las para se alimentar.


goblin shark head
Peter Halasz
Os tubarões-duende freqüentemente são considerados a espécie mais feia de tubarão devido ao seu focinho alongado

O restante do corpo de um tubarão-duende é flácido, com a pele rosada devido aos vasos sangüíneos que brilham através dela. Tendo em média 3,6 metros de comprimento, os tubarões-duende são criaturas robustas e pesam cerca de 180 quilos [fonte: Museu de História Natural da Flórida (em inglês)]. Eles vivem ao longo das plataformas continentais e montanhas marinhas (montanhas brotando do fundo do oceano) em vez de em águas abertas. Mas desde a primeira descoberta registrada em 1898, apenas cerca de 50 tubarões-duende foram capturados nas proximidades das costas do Japão, de Portugal, do Golfo do México e da Califórnia.

Apesar de existir na história científica moderna há pouco mais de um século, a espécie dos tubarões-duende existe há muito mais tempo na natureza. E deve ser exatamente sua cara feia que o trouxe através de vários milênios. Descubra o porquê na próxima página.