Como funciona o caos

Autor: 
Editores do HowStuffWorks

Durante muito tempo acreditou-se que apenas nos primórdios, na origem do universo como o conhecemos, o caos predominava. Mitologias e religiões promoveram a ideia de um vazio ilimitado e abissal ou de um universo em completa desordem até que algum deus resolveu por ordem nele e preenchê-lo com mundos e vidas razoavelmente ordenados. Desde então, a vida sobre a Terra seria pautada por dois tipos de fenômenos: os regulares ou previsíveis e os casuais ou aleatórios. Mas na segunda metade do século 20, a ciência mostrou que o caos estava de volta, ou melhor, que ele sempre esteve entre nós.

teoria do caos
© istockphoto.com / Pleio

Nos anos 60, os cientistas perceberam que muitos dos fenômenos até então considerados aleatórios são, na verdade, até certo ponto previsíveis, mas demasiados complexos para que a previsão seja precisa e duradoura. A meteorologia é um exemplo cotidiano da manifestação do caos. O clima é um fenômeno que não é nem aleatório nem regular. É possível fazer a previsão do tempo baseada em dados meteorológicos, mas com a confiabilidade de no máximo algumas semanas. Isso porque pequenas alterações atmosféricas têm um efeito amplificado com o decorrer dos dias, o que pode modificar completamente a previsão inicial.

Esse tipo de fenômeno, que ilustra bem o que é a teoria do caos, ficou conhecido como “efeito borboleta”, isto é, o bater de asas de uma borboleta de um lado do mundo pode desencadear eventos que levem à formação de um tufão no outro lado do planeta. Apesar do clima ser o campo mais evidente do funcionamento do caos, ele está presente em vários outros fenômenos, da órbita dos planetas até a atividade cerebral. Resumida e simplificadoramente, a teoria do caos propõe que um pequeno evento pode ter consequências imprevisíveis, pois o resultado final é determinado por ações interligadas de forma extremamente complexa e aparentemente aleatória.

O ciclone tropical Catarina, visto da Estação Espacial Internacional
Nasa
Eventos meteorológicos são exemplos cotidianos de fenômenos caóticos

O caos está presente nos mais diferentes fenômenos muitas vezes de forma dissimulada, inclusive em ciências que supostamente já teriam seus fundamentos muito bem compreendidos. A teoria do caos concentra seus estudos nos comportamentos aparentemente aleatórios e imprevisíveis de sistemas governados por leis deterministas, como a mecânica e a matemática. Na próxima página, saiba como Edward Lorenz, um meteorologista norte-americano e pesquisador do Massachusetts Institute of Technology (MIT), teve o insight que levou ao desenvolvimento da teoria do caos.

Teste seus conhecimentos sobre:

Caos: um fenômeno nem aleatório, nem regular