O Sistema Solar

A Terra é parte de um sistema solar que consiste de oito (e possivelmente
dez) planetas orbitando
ao redor de uma estrela gigante e incandescente chamada Sol. Por milhares de anos, astrônomos que vêm estudando o sistema solar perceberam
que estes
planetas marcham no espaço de uma maneira previsível. Eles notaram também que alguns
movem-se mais rápido
que outros (e alguns parecem mover-se para trás).



Foto cedida pela NASA


Os astrônomos algumas vezes utilizam uma luz que não pode ser vista por
humanos para aprender mais a respeito de objetos no espaço. Esta foto do sol foi
capturada somente com o uso de uma luz ultravioleta. Como se pode perceber, ela é diferente
de uma foto que usa luz visível.


O Sol: o centro do nosso sistema solar

O Sol (que, por acaso, é apenas uma estrela de tamanho médio) é maior que qualquer um
dos planetas em nosso sistema solar. Seu diâmetro é de 1.392.000 quilômetros. O diâmetro da Terra é de apenas 12.756 quilômetros. Mais de 1 milhão de planetas Terra caberiam dentro do Sol. A grande massa do Sol produz
uma enorme atração gravitacional que mantém todos os planetas do sistema solar
em suas órbitas. Até mesmo o anão Plutão, que está a 6 bilhões de quilômetros de distância, é mantido em sua órbita devido pelo Sol.

Planetas em nosso sistema solar

Cada planeta é único em nosso sistema solar, porém, eles também têm algumas coisas em
comum. Por exemplo, todos os planetas têm um pólo norte e um pólo sul. Esses pontos
estão no centro do planeta, em suas extremidades. O eixo do planeta é uma linha imaginária
que passa pelo centro do planeta, conectando os pólos norte
e sul. A linha imaginária que cruza o planeta em sua metade (como uma
cintura) chama-se equador. Todos os planetas giram em torno de seus próprios eixos. Alguns destes
giram mais rápido e outros mais lentamente. O tempo que um planeta leva para
girar uma vez em torno de seu eixo é chamado de período de rotação. Para a maioria dos planetas em nosso sistema
solar, o período de rotação é próximo à duração de um dia do próprio planeta. A duração do dia
é o tempo entre nasceres do sol no mesmo ponto no planeta. Mercúrio e Vênus
são exceções.


Ah, esses planetas retrógrados

Se você parar para observar o sistema solar, perceberá
que alguns planetas - especialmente Vênus e Mercúrio - parecem mover-se para trás no céu.
Esses planetas, na verdade, não se movem para trás, mas produzem este efeito
porque suas posições em relação à Terra estão mudando. É a mesma coisa que ocorre
quando seu carro passa por outro carro na estrada. O carro que você
está ultrapassando parece estar indo para trás, porém, na verdade isso é apenas porque o seu carro o
ultrapassou. Esse estranho movimento no sentido contrário é chamado de "movimento retrógrado". Um
planeta pode ter também uma "rotação retrógrada", que significa que ele gira na
direção oposta de sua órbita. A maioria dos planetas no nosso sistema solar possui "rotação prógrada", ou seja, giram na mesma direção de suas órbitas.

Assim como cada planeta no nosso sistema solar gira em seu eixo, eles também giram ao redor
do Sol. O tempo que um planeta leva para completar um giro ao redor
do Sol é chamado de ano planetário. O caminho que o planeta percorre ao redor do Sol
é chamado de órbita. Diferentes planetas possuem diferentes órbitas - e as órbitas
podem ter diferentes formatos. Algumas órbitas são praticamente circulares e outras, mais
elípticas (ovais).

O que mais existe em nosso sistema solar?

Apesar de nossa tendência a pensar apenas sobre o Sol e os planetas que consideramos parte
do nosso sistema solar, há muitos outros tipos de corpos que aglomeram-se ao redor do
Sol junto com a Terra e seus irmãos e irmãs planetários. O Sistema Solar possui luas (e algumas dessas luas têm também suas próprias luas), explosões de supernova, cometas,
meteoros, asteróides, e também a velha poeira cósmica. Certamente, há mais objetos
em nosso sistema solar, alguns deles ainda a serem descobertos.


Que história é essa de um décimo planeta no nosso sistema solar?


Um nome como 2003 UB313 não parece muito sugestivo, porém
este corpo distante de pedra e gelo balançou o universo da astronomia. A
cerca de 3.000 quilômetros (1.864 milhas), ele é um pouco maior que Plutão,
e parece estar mais distante - aproximadamente três vezes mais distante.
Porém, ele percorre os mesmos caminhos (órbitas) que os outro nove planetas
no sistema solar. Não há dúvidas sobre sua presença. Ele foi
observado a partir de poucos pontos (o Observatório Palomar e o telescópio
Gemini North em MaunaKea, para citar dois deles). A questão real é: o que constitui
um planeta? E será que o 2003 UB313 corresponde a esses critérios? Após anos de debate, nosso último planeta, Plutão, foi rebaixado à categoria de planeta anão pela União Astronômica Internacional, em agosto de 2006, por não atender aos critérios que classificam um corpo celeste como planeta.

Os planetas do Sistema Solar

Mercúrio: é o planeta mais próximo do Sol e o segundo menor do Sistema Solar. É o
planeta que se move mais rápido e por isso recebeu o nome do deus
romano da velocidade. Assim como a Terra, trata-se de um planeta
telúrico, o que significa que tem uma superfície sólida em que se pode
pousar.


Vênus
: é o segundo planeta a partir do Sol e tem aproximadamente o mesmo tamanho da Terra. É um planeta
telúrico, o que significa que tem uma superfície sólida. Porém, as características de Vênus o tornam bastante
inóspito. Duas sondas, a Pioneer Venus 1 e a Magalhães, conseguiram penetrar na atmosfera
espessa desse planeta. Elas descobriram que a atmosfera é constituída em sua maior parte pelo venenoso dióxido de carbono
e que ventos fortes empurram nuvens amarelas de ácido pela superfície do planeta.

Terra: é o terceiro planeta a partir do Sol e o quinto maior. Trata-se
de um planeta telúrico, o que significa que é sólido o bastante para se
pousar, e tem apenas uma lua. A Terra não recebeu o nome de um deus
grego ou romano porque as primeiras pessoas que estudaram as estrelas e
os planetas não achavam que a Terra era um planeta. "Terra" significa
apenas chão.


Marte
: é o quarto planeta a partir do Sol e o terceiro menor em tamanho, recebeu esse nome por causa de
sua cor vermelho-ferrugem. As pessoas associavam a cor vermelho-sangue do planeta com a guerra, portanto, deram o nome de
Marte, o deus romano da guerra. Há uma razão simples para a cor vermelha de Marte: seu solo
contém dióxido de ferro, a conhecida ferrugem.

Júpiter: é o maior planeta e o quinto a partir do Sol. Ele é a terceira maior
mancha no
céu, atrás do Sol e de Vênus. Júpiter é composto quase em sua totalidade por gás, o que
significa que não
tem uma superfície sólida como a da Terra. Por seu vasto tamanho, o planeta recebeu o nome
do rei dos deuses
romanos. Júpiter é maior que o dobro de todos os outros planetas juntos.

Saturno: é o sexto planeta a partir do Sol e o segundo maior planeta do
Sistema Solar. O planeta recebeu o nome do deus romano da agricultura,
um dos deuses mais importantes para os romanos. Saturno é constituído
principalmente por hidrogênio e hélio, e seus pólos parecem achatados
devido à rápida rotação em seu eixo. Os famosos anéis de Saturno, que
são a característica mais marcante do planeta, são compostos de
diversos materiais, desde poeira até bolas de neve, passando por
rochas. Recentemente foram detectadas luas nos anéis. Embora os
principais anéis tenham mais de 250 mil quilômetros de largura, eles
provavelmente têm menos de um quilômetro de espessura.

Urano é o sétimo planeta a partir do Sol e recebeu o nome da antiga divindade
grega dos Céus, o mais antigo deus supremo. É o terceiro maior planeta
do Sistema Solar e é três vezes maior do que a Terra. A atmosfera de Urano é rica em hidrogênio e hélio.

Netuno: é o oitavo planeta a partir do Sol e o quarto maior do Sistema
Solar. Sua superfície é um planeta gasoso. Ele recebeu o nome do deus
romano do mar. Netuno é quatro vezes maior do que a Terra e seu dia
dura pouco mais de 16 horas. Seu ano dura cerca de 165 anos terrestres.
A órbita de Netuno é um círculo perfeito. Netuno foi a última parada da
épica viagem da sonda Voyager pelo sistema solar. Da Terra, Netuno
parece ser um planeta azul interessante. Mesmo assim, esse misterioso
planeta reserva muitas surpresas para nós.

Plutão: o menor e mais distante planeta do Sistema Solar é o
pequeno e gélido Plutão, rebaixado em 2006 à categoria de planeta anão. É ainda menor do que a Lua e só foi descoberto
em 1930 - o único planeta descoberto no século 20. Plutão tem cerca 1/5
do diâmetro da Terra e recebeu o nome do deus romano do submundo, que
podia tornar-se invisível.

Artigos relacionados