Como funcionam os piolhos

Autor: 
Alexandre Indriunas

Quizz

A cabeça começa a coçar. Uma coceirinha chata que não para. “Ai! É piolho! E agora?” Não se desespere! Nesse artigo vamos esclarecer quem são esses nossos antigos companheiros e o que fazer para evitá-los, tratá-los e também discutir algumas crendices e mitos sobre esses insetos.

Há indícios de piolhos humanos em múmias egípcias de mais de 3 mil anos, e seus ovos (conhecidos como lêndeas) foram encontrados em múmias de 10 mil anos no Piauí. Durante a Primeira Guerra Mundial, cerca de 10 a 20 mil soldados morreram devido a doenças transmitidas por eles. Atualmente, devido a mudanças de hábitos o piolho do corpo não é mais considerado um grave problema de saúde pública.

Coçando a cabeça?
PeskyMonkey © istockphoto.com
Começou a coçar a cabeça? Pode não ser preocupação.

É bem verdade não é somente na cabeça que podemos encontrar piolhos, eles podem viver em outras regiões do nosso corpo. São três espécies que podem nos perturbar:

  • o bem conhecido piolho de cabeça, Pediculus capitis (Lineu, 1758);
  • o que vive no corpo, Pediculus humanus (Lineu, 1758) e
  • o que vive na região pubiana, chamado de chato, Phthirus pubis (Lineu, 1758).

As duas espécies de Pediculus, devido ao seu comportamento biológico diferente, são por vezes tratadas como subespécies de P. humanus. Assim o piolho do couro cabeludo (Pediculus capitis) seria o Pediculus humanus capitis e o do corpo (Pediculus humanus) referido como Pediculus humanus corporis.

Outros "piolhos"

Seu animal cachorrinho ou gatinho está se coçando demais... não é pulga... é piolho, “Será que ele vai me passar piolho?” a resposta é um sonoro “Não”. Esses insetos são muito específicos, ou seja, são especializados em grupos de animais.

É bem verdade que não somos somente nós que sofremos com eles. Muitos animais padecem de terríveis coceiras causadas por outros tipos de piolhos pertencentes à ordem Anoplura, porém estes são parasitas exclusivos de mamíferos. Cavalos, porcos, carneiros e o gado em geral são assolados por espécies da família Haematopidae, muitas vezes levando-os a doenças secundárias causadas pelo parasitismo.

Pode não ser pulga, mas piolho
Aleksey Ubozhenko © istockphoto.com
Os cachorros também são atacados por piolhos, que, felizmente, não gostam da gente.

­Mas insetos de outra ordem, Mallophaga, importunam não somente mamíferos, mas também aves. Diferentemente dos da ordem Anoplura, estes se alimentam de pêlos, lã, produtos das penas, sangue seco ou descamações da pele. A coceira pode levar a irritações e ao estresse do animal, deixando-os fracos e vulneráveis a outras doenças. Mas de modo algum eles vão nos infestar.

Vamos conhecer um pouco mais desses nossos antigos e incômodos companheiros.