Monstros do fundo do mar: lula gigante e colossal

Autor: 
Stephanie Watson

Capa para o livro Vinte mil léguas submarinas
Imagem cedida por Consumer Guide Product
No livro "Vinte mil léguas submarinas", de Jules Verne, uma lula gigante ataca um submarino

Durante milhares de anos, as pessoas contavam histórias sobre enormes monstros marinhos cheios de braços. Em "Odisséia", de Homero, Odisseu teve que navegar ao redor de um monstro com várias cabeças chamado Cila. Jules Verne, posteriormente, descreveu o ataque de uma lula gigante ao submarino Náutilo, em "Vinte mil léguas submarinas". Essas lendas provavelmente basearam-se nas aparições reais da lula gigante (Architeuthis), o maior invertebrado do mundo e o maior membro de sua espécie.

Esses animais enormes, que vivem no fundo do Oceano Atlântico, podem chegar a 18 m de comprimento e pesar aproximadamente 500 kg. Possuem olhos do tamanho de bolas de futebol, além de tentáculos de 10,6 m de comprimento, alinhados com as ventosas que medem 5 cm de diâmetro cada.

Sabe-se muito pouco sobre as lulas gigantes, pois raramente são vistas. Até pouco tempo, a única vez que os cientistas viram uma lula gigante foi quando a encontraram no estômago de baleias cachalote (seus únicos predadores). As cicatrizes em forma de ventosas nas mandíbulas e lábios das baleias são a prova da batalha que elas travavam para capturar a presa.

Uma lula gigante foi capturada por uma rede de pesca de águas profundas nas águas da Nova Zelândia e Austrália
Imagem cedida por NASA/SeaWiFS
Uma lula gigante foi capturada por uma traineira de águas profundas nas águas da Nova Zelândia e Austrália, em 1999

Em 2005, uma equipe de biólogos marinhos japoneses conseguiu tirar fotografias da esquiva lula gigante nadando no fundo do Oceano Pacífico pela primeira vez. Levou três anos para os cientistas localizarem a lula, o que eles concluíram seguindo as espécimes migratórias das baleias cachalote. Eles tiraram as fotos enquanto a lula estava atacando a isca em uma linha. A lula ficou presa na linha e lutou por mais de quatro horas para se soltar. Durante o esforço, ela perdeu um de seus tentáculos, que os cientistas recuperaram. Media 5,5m de comprimento. Um ano depois, os pesquisadores finalmente conseguiram prender uma lula gigante.

Uma lula gigante foi capturada por uma rede de pesca de águas profundas nas águas da Nova Zelândia e Austrália
Imagem cedida por Associated Press/KOJI SASAHARA/ Tsunemi Kubodera do National Science Museum do Japão, HO
Uma lula gigante ataca uma lula na isca quando foi presa pela equipe de pesquisa Tsunemi Kuboderas nas Ilhas de Ogasawara, sul de Tóquio, em 4 de dezembro de 2006. Com aproximadamente sete metros de comprimento, a lula morreu no processo de captura.

Nos últimos anos, os cientistas também passaram a estudar mais o parente igualmente assustador da lula gigante, a lula colossal (mesonychoteuthis hamiltoni). Em 2007, um barco da Nova Zelândia estava em uma expedição de pesca nas águas antárticas, quando sua linha prendeu alguma coisa muito maior do que um peixe. O pescador lutou durante quase duas horas para puxar a lula colossal para o barco. Ela pesava 495kg e, de acordo com informações do ocorrido, quando estava sendo cozida, teria produzido calamaris "do tamanho da roda de um trator." A lula colossal foi congelada e levada ao museu nacional da Nova Zelândia para mais estudos.

Para mais informações sobre lulas, verifique os links na próxima página.