Sintomas de intoxicação e tratamento

Autor: 
Stephanie Wilson

Nos lugares em que a pele entrou em contato com as folhas ou o urushiol da hera venenosa, dentro de um ou dois dias você vai desenvolver uma erupção, que geralmente coça, fica vermelha, queima, incha e forma bolhas. A erupção deve desaparecer dentro de uma semana, mas pode durar mais. A severidade da reação freqüentemente tem a ver com a quantidade de urushiol que você teve contato. A erupção pode aparecer mais rápido em algumas partes do corpo que em outras, mas não se espalha - o urushiol simplesmente é absorvido pela pele em taxas diferentes nas diferentes partes do corpo. A pele mais espessa, como a da sola dos pés, é mais difícil de ser penetrada que a de braços e pernas.


Foto cedida por Theresa L. Ford
Uma erupção grossa na perna provocada pela hera venenosa

Chame seu médico se tiver estas reações mais sérias, como as descritas abaixo:

  • pus em torno da erupção (o que poderia indicar infecção);
  • uma erupção em torno da boca, olhos ou área genital;
  • febre acima de 37,7 graus;
  • uma erupção que não desaparece após uma semana.

Quaisquer dos seguintes sintomas requer assistência médica emergencial imediata:

  • inchaço da garganta, língua ou lábios e/ou dificuldade de engolir;
  • dificuldade de respirar;
  • fraqueza;
  • tontura;
  • lábios azulados.

Quanto mais cedo se tratar a hera venenosa, maiores as chances de conseguir remover pelo menos algum urushiol antes de ele penetrar a pele, evitando a reação. Tão logo você note que tocou uma hera venenosa (ou o poison oak ou o sumagre):


Foto cedida por
HowStuffWorks Shopper

Cremes corticosteróides fáceis de comprar podem aliaviar a coceira
  1. lave a pele imediatamente com água. Enxaguar dentro dos cinco primeiros minutos de contato é mais eficaz;
  2. remova todas as roupas que tenham entrado em contato com a planta e lave-as com água e sabão;
  3. lave a pele com água fresca e sabão;
  4. usando uma bolinha de algodão ou cotonete, desinfete (esfregando) as áreas afetadas da pele com álcool isopropílico.

Uma vez aparecidas as erupções, você com certeza terá coceiras, mas tente não coçar. Embora estourar as bolhas coçando não possa espalhar as erupções, a bactéria sob sua pele pode causar infecção e deixar cicatrizes.

A erupção deve desaparecer sozinha dentro de duas semanas. Se sentir muito desconforto, você pode usar compressa ou embeber as áreas afetadas com água. Você também pode aplicar um corticosteróide tópico ou tomar um anti-histamínico para aliviar a coceira. Cortisona pode parar a reação, mas somente se for tomada logo depois da exposição. Outros produtos que conseguem acalmar a coceira são a loção de calamina, o ungüento de óxido de zinco, a pasta de bicarbonato de sódio (três colheres de chá de bicarbonato de sódio e uma colher de chá de água) ou um banho de aveia.

Evitando a hera venenosa
A hera venenosa é muito difícil de se evitar. Mesmo que você não se esfregue diretamente contra a planta, pode tocá-la por meio de uma ferramenta do jardim, uma bola ou mesmo um animal de estimação (os animais não têm a mesma sensibilidade) que tenha entrado em contato com o urushiol. Alguns cremes que contêm o ingrediente bentoquantum conseguem bloquear o urushiol e oferecer alguma proteção antes da exposição à hera venenosa. Sua melhor defesa ainda é ficar longe da hera venenosa e livrar-se dela em seu quintal.

 


Foto cedida por
HowStuffWorks Shopper

Este produto afirma protegê-lo contra a hera venenosa

Foto cedida por
HowStuffWorks Shopper

Tente borrifar a planta com um produto contra ervas daninhas

Mas a planta não é um inimigo fácil de combater. Se você borrifá-la com um veneno (produtos que contêm o ingrediente glifosato), você pode matá-la, mas deve ter cuidado para não matar outras plantas ao redor. A outra opção é remover a hera venenosa manualmente, mas você deve usar uma camisa de manga comprida, calças compridas, luvas e botas para evitar qualquer contato com a pele. Limpe suas roupas com água e sabão ou álcool isopropil logo que tiver terminado. Certifique-se de puxar as plantas com as raízes, pois qualquer parte de planta que você deixar pode crescer novamente. Nunca queime a planta, pois o urushiol evapora quando aquecido. Virando fumaça, ele pode irritar severamente os pulmões.

Para mais informações sobre a hera venenosa e assuntos relacionados, confira os links na próxima página.

Mitos sobre a hera venenosa

Mito: a intoxicação pela hera venenosa é contagiosa.
Realidade: você não consegue se intoxicar entrando em contato com uma pessoa que tenha as erupções, a menos que aquela pessoa tenha o urushiol na superfície da pele. Você pode, no entanto, intoxicar-se tocando um cachorro que tenha restos de hera venenosa no pêlo ou tocando a lâmina de um cortador que tenha acabado de usar para cortar as plantas.

 

Mito: você pode intoxicar outras partes do corpo tocando as bolhas em sua pele.
Realidade: a única maneira de intoxicar-se é tocando a planta, ou tocando um objeto que tenha entrado em contato direto com ela e apresente urushiol em sua superfície. Se você coçar ou tocar a erupção e as bolhas, pode causar infecção, mas não vai fazer que a erupção se espalhe. Embora a erupção pareça "espalhar-se", isso só acontece porque a reação ocorre mais devagar em algumas partes do corpo que em outras.

Mito: se eu comer a hera venenosa, ficarei imune a ela no futuro.
Realidade: isso não apenas é mentira, como pode ser letal. Comer a hera venenosa pode causar uma reação alérgica potenciamente fatal. Alguns animais, porém, incluindo os cervos, comem a hera venenosa sem quaisquer efeitos prejudiciais.

Mito: algumas pessoas são tão sensíveis à hera venenosa que podem se intoxicar somente por estar perto da planta.
Realidade: você tem que tocar a planta para se intoxicar - o urushiol não vai passar para sua pele só por você estar perto.

Mito: você não se intoxica se a planta estiver morta.
Realidade: o urushiol pode permanecer nas superfícies - incluindo a da hera venenosa - por vários anos, mesmo depois da planta ter morrido.