As fontes de água do mundo

Autor: 
Shanna Freeman

Muitas vezes aparecem discussões nos noticiários sobre a diminuição do fornecimento de água no mundo, mas isso não é inteiramente verdade. A quantidade de água não está diminuindo; é a demanda por ela que está aumentando gradualmente. Alguns cientistas acreditam que a população mundial, que atualmente é de 6 bilhões, irá dobrar até 2050. Além disso, a quantidade de água que é limpa e potável está diminuindo cada vez mais por causa da poluição.

water supply

Para muitas pessoas em países industrializados, conseguir água é tão fácil quanto abrir uma torneira, e também é barato, de certa forma. A água doce, porém, não é distribuída de maneira igual no mundo inteiro. Mais da metade das fontes de água do mundo estão em apenas nove países: Estados Unidos, Canadá, Colômbia, Brasil, República Democrática do Congo, Rússia, Índia, China e Indonésia [fonte: Conselho Empresarial Mundial para o Desenvolvimento Sustentável (em inglês)]. As áreas urbanas, obviamente, precisam de água para suprir necessidades que vão além do básico, para ser ingerida e usada na higiene. Mas a superpopulação em países subdesenvolvidos significa que muitas pessoas não têm acesso nem ao básico.

A maior parte da água doce do mundo, cerca de 10 milhões de quilômetros cúbicos dela, fica em aqüíferos subterrâneos. O restante vem de:

  • chuvas (depois de registrar a evaporação): 119 mil quilômetros cúbicos;
  • reservatórios produzidos pelo homem: 5 mil quilômetros cúbicos;
  • lagos: 91 mil quilômetros cúbicos;
  • rios: 2.120 quilômetros cúbicos.

[fonte: Conselho Empresarial Mundial para o Desenvolvimento Sustentável (em inglês)]

A distribuição da água demanda das fronteiras políticas, desenvolvimento econômico e riqueza. Na Cidade do México, por exemplo, 9% da população usa 75% da água disponível e uma infra-estrutura decadente faz que até metade do fornecimento de água seja perdido graças a vazamentos nos canos e evaporação.

Alguns países não têm água limpa o suficiente para suas populações que crescem rapidamente, e eles não conseguem bancar a infra-estrutura necessária para limpar a água e transportá-la. Por exemplo, a maioria das pessoas nas cidades da China sofre pela falta de água, e a maior parte da água subterrânea, dos lagos e dos rios está poluída. Cerca de 700 milhões de chineses têm acesso apenas à água potável que não está de acordo com os padrões estabelecidos pela Organização Mundial da Saúde [fonte: OMS (em inglês)].

Países no Oriente Médio usam a menor quantidade de água por pessoa porque existem poucas fontes naturais de água doce. Por outro lado, o uso de água nos Estados Unidos é maior do que em qualquer outro país, com cerca de 1.700 metros cúbicos de água usados por pessoa em 2002 [fonte: Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (em inglês)]. Mesmo nos Estados Unidos, contudo, existem alguns estados e regiões que não têm água o suficiente para abastecer suas populações. Regiões costeiras da Flórida têm uma quantidade tão grande de água salgada que precisam receber água doce através de canos de áreas centrais, o que resultou em disputas políticas pelo controle do fornecimento de água.