Como gira o núcleo da Terra

Autor: 
Editores HowStuffWorks Brasil

Pesquisas anteriores já mostraram que o núcleo da Terra gira mais rápido do que o resto do planeta. No entanto, cientistas da Universidade de Cambridge descobriram que o núcleo está se movendo a uma velocidade muito menor do que se imaginava anteriormente – cerca de 1 grau a cada milhão de anos. O estudo foi publicado na edição de 20 de fevereiro de 2011 da revista Nature Geoscience.

O núcleo interno cresce muito lentamente com o passar do tempo – isso se dá quando as matérias dos fluídos que passam pelo se exterior se solidificam em sua superfície. “As taxas de rotação mais rápidas são incompatíveis com os hemisférios observados no núcleo interno porque não permitiriam tempo suficiente para as diferenças de congelamento na estrutura”, disse a autora do estudo, Lauren Waszek.

Para a pesquisa em questão, os cientistas usaram ondas sísmicas que atravessam o núcleo interno – 5.200 km abaixo da superfície da Terra – e compararam o tempo de viagem que as ondas levam para refletir do núcleo até a superfície. A diferença entre o tempo de viagem dessas ondas forneceu a eles uma estimativa de velocidade do núcleo. A taxa de rotação é também calculada a partir do deslocamento das fronteiras dos hemisférios leste e oeste e da taxa de crescimento do núcleo.

Embora o núcleo interno esteja a 5.200 km abaixo de nossos pés, o efeito de sua presença é especialmente importante na superfície da Terra. Em particular, à medida que o núcleo cresce, o calor liberado durante a solidificação se propaga par o fluído localizado na parte externa do núcleo. Essa convecção é o que gera o campo geomagnético da Terra. Sem o nosso campo magnético, a superfície não estaria protegida da radiação solar, e por conseqüência não haveria vida na Terra.

Artigos relacionados

 
Publicado em 22 de fevereiro de 2011.