Como funciona a fabricação de espadas

Autor: 
Jeff Tyson

Antes de surgirem as armas de fogo, a espada era a principal arma utilizada no combate corpo a corpo. Ela está associada a figuras legendárias como os cavaleiros ingleses, gladiadores romanos, ninjas japoneses ou guerreiros vikings. 

As espadas são trabalhos de arte admiráveis feitos pelas mãos experientes de cuteleiros. Inicialmente, o termo cutelaria se referia apenas a facas, mas ao longo do tempo, a atividade foi ampliada e, hoje, podemos incluir a produção de espadas, machados, tesouras, navalhas e talheres.


Foto cedida por Facas Don Fogg
Uma katana japonesa

A faixa de preços das espadas reflete a sua variedade. É possível encontrar todo tipo de espadas, desde réplicas baratas até obras-primas feitas à mão (podendo custar mais de R$ 70 mil) 

Basicamente, uma espada é uma peça de metal afiada que normalmente possui entre 61 e 122 cm de comprimento com um cabo (punho) em uma das extremidades. A outra extremidade normalmente termina em uma ponta. Neste artigo, você aprenderá um pouco sobre a história das espadas e saberá como elas são fabricadas, incluindo os passos necessários para sua criação:

  • escolha de um desenho
  • seleção dos materiais
  • modelamento da lâmina
  • normalização e recozimento do aço
  • adição do gume
  • revenimento do aço
  • adição da guarda, punho e pomo

Este artigo aborda os pontos básicos da fabricação moderna de espadas. Existem muitos outros métodos que foram utilizados na história e muitas diferenças entre as espadas feitas por cuteleiros de diferentes épocas e regiões. O desenvolvimento de uma espada japonesa varia significativamente em relação ao de uma espada européia. 

Vamos começar dando uma olhada nas partes de uma espada.