Como funcionam os espelhos

Autor: 
Gallagher Flinn

Antigamente, quem quisesse ver seu reflexo tinha de ir para a beira do lago mais próximo
© lightasafeather / istockphoto
Antigamente, quem quisesse ver seu reflexo tinha de ir para a beira do lago mais próximo

Introdução

O espelho convencional moderno, de forma geral, nada mais é do que uma folha de vidro anexada a uma fina camada de fundo metálico. Parece que os espelhos sempre estiveram por aí de alguma forma ou de outra, mas os espelhos como conhecemos não têm tanto tempo assim. Há mais de mil anos, os espelhos ainda eram discos de metal planos e polidos que custavam muito mais do que muitas pessoas podiam pagar: um camponês que quisesse ver seu reflexo tinha de procurar o lago mais próximo - como qualquer um - e ainda ficar na fila para conseguir uma beirinha da margem. Espelhos de corpo inteiro são uma invenção ainda mais recente. Eles têm cerca de 400 anos.

Você poderia pensar que quatro séculos dariam às pessoas tempo para ajustar o olhar para si mesmas, mas não. Em um estudo de 2005 da Universidade de Liverpool, um grupo de pesquisadores pediu aos participantes para preverem quando seus reflexos apareceriam enquanto eles passassem por um espelho. Suas respostas foram embaraçosamente erradas. Os mesmos resultados pobres voltaram quando as pessoas foram perguntadas a julgar o tamanho de suas cabeças no espelho [fonte: Martin].

Os resultados do estudo de Liverpool sugerem que os humanos simplesmente não estão intuitivamente equipados para lidar com reflexos, ainda que os espelhos ressoem profundamente na psiquê humana. Eles representam verdade e ilusão ao mesmo tempo. Nos mostram como somos, e, por trás do espelho, nós vemos um novo mundo a explorar que não podemos acessar. Talvez esses paradoxos desconcertantes sejam o que torna o espelho tão central para a mágica e a ciência.

Neste artigo, vamos explorar a história, a física e as superstições por trás de uma das mais misteriosas invenções da humanidade.