Engrenagem satélite e relações de engrenagens

Autor: 
Karim Nice

Toda engrenagem satélite (ou planetária) deve ter três componentes principais:

  • a engrenagem planeta
  • as engrenagens satélite e seu suporte
  • a coroa

Cada um desses três componentes pode ser a entrada, saída ou pode ficar imóvel. Escolher qual deles vai exercer cada papel é o que determina a relação de engrenagem do conjunto todo. Vamos dar uma olhada em uma engrenagem satélite simples.

Uma das engrenagens satélite da sua transmissão tem uma cremalheira com 72 dentes e uma engrenagem central com 30 dentes. Dá para conseguirmos diferentes relações de transmissão com esse conjunto.

Entrada
Saída
Imóvel
Cálculo
Relação de transmissão
A
Planeta (S)
Engrenagem satélite (C)
Coroa (R)
1 + R/S
3.4:1
B
Engrenagem satélite (C)
Coroa (R)
Planeta (S)
1 / (1 + S/R)
0,71:1
C
Planeta (S)
Coroa (R)
Engrenagem satélite (C)
-R/S
-2,4:1

Além disso, se você travar 2 dos 3 componentes de uma só vez, irá travar todo o equipamento a uma redução de transmissão de 1:1. Perceba que a primeira relação de transmissão listada acima é uma redução, ou seja, a velocidade de saída é menor do que a velocidade de entrada. A segunda é uma sobremarcha, a velocidade de saída é maior do que a velocidade de entrada. E a última é uma redução novamente, mas a direção de saída é invertida. Há muitas outras relações possíveis com esse conjunto de engrenagens satélite, mas essas são as que importam para nossa transmissão automática. Você pode verificar isso na animação abaixo:

Animação das diferentes relações de transmissão das transmissões automáticas.
Clique nos botões à esquerda na tabela acima.

­
Por isso, esse conjunto de engrenagens consegue produzir todas essas relações diferentes sem ter que trabalhar com quaisquer outras engrenagens. Com dois conjuntos de engrenagens como esses em seqüência, é possível obter quatro marchas normais e a ré, tudo o que precisamos para a nossa transmissão. Vamos juntar dois conjuntos de engrenagens na próxima seção.