Dinossauros vivos

Autor: 
Tracy Wilson

Se você tiver uma impressora lenta e obsoleta na sua casa ou em seu escritório, você pode se referir a ela como um dinossauro. Você pode dizer a mesma coisa de um político cujas idéias você considera ultrapassadas. Ou, se você acha que a inovação mais recente está condenada ao fracasso, você pode dizer que ela vai acabar virando um dinossauro. Essas figuras de linguagem têm origem na idéia de que os dinossauros são uma espécie que desapareceu porque não conseguiu se manter. Eles eram grandes demais, lentos demais, pesados demais e velhos demais para conseguirem chegar aos tempos modernos.

Porém, muitos cientistas definitivamente não enxergam dessa maneira. Em vez de se tornarem obsoletos, os dinossauros evoluíram para aves, que são extremamente sofisticadas. Não só se tornaram um tipo de animal que ainda existe hoje, como também desenvolveram habilidades que pouquíssimas formas de vida na Terra têm. Somente pterossauros, insetos, morcegos e pássaros podem voar.

caudipterix
Getty Images
Incrustação de esqueleto de um dinossauro semelhante a uma ave, conhecido como caudipteryx, em exibição em Pequim, em 2007

Algumas evidências físicas sustentam a teoria de que dinossauros evoluíram para aves. A primeira coisa a se ter em mente é que a teoria não se aplica a todas as espécies de dinossauros, ou mesmo a todos os subgrupos de dinossauros. Os dinossauros que evoluíram para aves são terópodes - os dinossauros de três dedos como o Tiranossauro rex e o Velociráptor. Ironicamente, esses são membros do subgrupo saurisquiano (com quadril de lagarto) em vez do grupo ornitisquiano (com quadril de ave).

Diversas espécies terópodes têm características físicas em comum com as aves. Essas características são chamadas de sinapomorfias e incluem:

  • fúrculas, que são as clavículas soldadas;
  • ossos ocos;
  • estruturas do quadril semelhantes.

Hoje, as aves também têm, nas pontas de suas asas, ossos de dedos fundidos, que correspondem às garras no extremo dos membros dianteiros dos dinossauros. Já discutimos outras similaridades, inclusive penas e o modo de incubar ovos, sentando no ninho. Cientistas até descobriram um esqueleto fossilizado no qual a cabeça do dinossauro está escondida sob sua asa, da mesma maneira como um pato quando dorme [fonte: Roach].

Claro que essa não é a única explicação para o que aconteceu com os dinossauros nem para a origem das aves. Os que se opõem à teoria da evolução argumentam que não há nenhuma evidência física para a transição de dinossauros à aves. Cientistas dissidentes sustentam que os dinossauros têm muito mais em comum com os répteis, e são representados nas espécies de répteis de hoje, incluindo os crocodilos.

Terópodes de hoje

Algumas aves atuais se assemelham mais claramente aos terópodes do que aos pintarroxos e pardais. Elas incluem os avestruzes e as emas.

Os que apóiam a teoria do "dinossauro à ave" respondem que o Archaeopteryx lithographica, tido geralmente como a ave mais antiga conhecida, ocupa parcialmente o papel de elo perdido. Embora o Arqueopterix fosse uma ave, ele também tinha características de lagarto, como dentes e uma cauda óssea. Além disso, recentes descobertas de fósseis com penas, feitas na China, fornecem mais evidência de que as aves têm parentesco com os dinossauros.

Em termos dessa teoria, mais de 10 mil espécies de dinossauros vivem hoje. Mas tão fascinante quanto a idéia de que alguns dinossauros sobreviveram à fronteira K-T é o pensamento de que cientistas poderiam criar novos dinossauros. Vamos dar uma olhada em como apareceram na mídia essa idéia e a idéia de que as pessoas poderiam interagir com os dinossauros.