Como funcionavam os aviões japoneses na Segunda Guerra Mundial

Autor: 
Jeff Tyson
­aviões japonses na Segunda Guerra Mundial

No dia 7 de dezembro de 1941, pouco antes das 8 horas, o Império do Japão atacou Pearl Harbor em um ataque preventivo, com o intuito de debilitar os EUA, antes que pudessem se juntar aos aliados durante a Segunda Guerra Mundial. O ataque foi be­m-sucedido, causando a morte de 2.403 americanos, assim como a destruição ou danificação de 21 navios e 347 aviões americanos. Parte do sucesso desse ataque deveu-se às aeronaves japonesas, especialmente a Mitsubishi A6M Tipo 0, mais conhecida como Zero.


Foto cedida por Naval Historical Center
Aviões Mitsubishi Zero, como este, foram a principal arma da força aérea japonesa durante o ataque a Pearl Harbor

A Segunda Guerra Mundial foi uma batalha de avanços tecnológicos. Durante toda a guerra, as forças aliadas e as do eixo trabalhavam sem parar para melhorar as capacidades e características de seus equipamentos. Nenhum outro tipo de tecnologia representou tão bem essa batalha pela supremacia do que os aviões de caça, sendo apresentados em intervalos de poucos meses, sempre com uma versão destinada a contrapor a mais recente criação do lado inimigo.


Foto cedida por National Museum of Naval Aviation
Este Zero está em exibição no National Museum of Naval Aviation

Neste artigo vamos dar uma olhada nas idéias básicas que existem por trás desses aviões de caça, especialmente do Zero japonês. Vamos falar sobre a infra-estrutura dos aviões, como eles eram usados e quais os modelos de armas que transportavam. Mas antes, vamos ver como os aviões japoneses chegaram a Pearl Harbor.