Recrutamento do astronauta

Autor: 
William Harris

Atualmente, o processo para recrutamento de astronautas é simplificado e eficiente. Mas quando a NASA começou a recrutar os primeiros candidatos, em 1958, ela estava entrando em um território desconhecido. Um dos grandes problemas estava relacionado à definição do papel do astronauta. Na descrição inicial do emprego, eles nada mais eram do que observadores que veriam e documentariam o que estava acontecendo. Entretanto, logo ficou claro que a interação humana seria necessária. Com base nisso, a NASA decidiu que precisaria de pilotos militares.

Essa era uma decisão lógica considerando o envolvimento do exército norte-americano com mísseis e aviões-foguetes depois da Segunda Guerra Mundial. Em 1946, o exército dos Estados Unidos, a Força Aérea (como era então conhecida) e a NACA (Comitê Consultivo Nacional sobre Aeronáutica, antecessor da NASA) solicitaram a Bell Aircraft que produzisse três aviões-foguetes. Finalmente, o teste dessas aeronaves foi dirigido à Força Aérea Americana, que tinha se tornado um ramo separado do exército como parte do Ato de Segurança Nacional de 1947. Em 14 de outubro desse mesmo ano, Chuck Yeager, um piloto de teste da Força Aérea, quebrou a barreira do som em um avião-foguete X-1 sobrevoando Victorville, Califórnia. Embora o próprio Yeager não tenha feito parte do programa tripulado de exploração espacial Mercury, ele serviu de cobaia para o tipo de pessoa que a NASA acreditava ser o modelo ideal de astronauta.

No final de 1958, a NASA finalmente estabeleceu uma lista de qualificações para astronautas no programa Mercury. Cada candidato tinha que:

  • estar em um ramo do exército;
  • ter menos de 40 anos;
  • ter menos de 1,80 m de altura;
  • ser formado em engenharia;
  • ser formado em uma escola de pilotos de teste;
  • ter no mínimo 1.500 h de tempo de voo.
  • A Mercury 7, os primeiro astronautas da NASA, foram todos pilotos militares.
    imagem cedida pela NASA
    A Mercury 7, os primeiro astronautas da NASA, foram todos pilotos militares

    O comitê de seleção de astronautas da NASA analisou o registro de 508 soldados durante todo o mês de janeiro de 1959. Cerca de 100 foram chamados para entrevistas e testes escritos. Apenas 32 candidatos foram para a fase final. Uma bateria de exames médicos diminuiu o grupo para 18, dos quais foram escolhidos sete como os primeiros astronautas. Três eram da Marinha, três da Força Aérea e um da Fuzilaria Naval. O grupo ficou conhecido como "Original Seven" (Os sete originais) ou "Mercury 7" e incluíam:

    1. M. Scott Carpenter (tenente da Marinha);
    2. L. Gordon Cooper Jr. (capitão da Força Aérea);
    3. John Glenn Jr. (tenente da Fuzilaria Naval);
    4. Virgil "Gus" Grissom (capitão da Força Aérea);
    5. Walter Schirra Jr. (capitão-de-corveta da Marinha);
    6. Alan Shepard Jr. (capitão-de-corveta da Marinha);
    7. Donald "Deke" Slayton (capitão da Força Aérea).

    Em agosto de 1959, a União Soviética deu início a um processo de seleção semelhante para seu primeiro grupo de cosmonautas. A Agência Espacial Soviética também procurou pilotos de jato como uma fonte de candidatos, e as equipes de seleção visitavam as bases aéreas de todo o país. Um total de aproximadamente 3 mil entrevistados caiu para 102 possíveis cosmonautas, que foram submetidos a testes extensos e, às vezes, desgastantes. Por volta de maio de 1960, com a conclusão da estação de treinamento em Star City, a União Soviética anunciou seu primeiro grupo de cosmonautas:

    1. Yuri Gagarin;
    2. Anatoly Kartashov*;
    3. Andrian Nikolayev;
    4. Pavel Popovich;
    5. Gherman Titov;
    6. Valentin Varlamov*.

    *No final, substituídos por Valery Bykovsky e Grigori Nelyubov.

    cosmonautas soviéticos
    imagem cedida pela NASA
    Os primeiros cosmonautas soviéticos de 1960 posam para uma foto do grupo

    À medida que a NASA aprendia mais sobre o significado de ser um astronauta, suas exigências começaram a mudar. Leia na próxima página como funcionam as orientações de recrutamento atuais.