Como duas espécies distintas podem evoluir para formas idênticas?

Autor: 
Ed Grabianowski

Há cerca de 60 milhões de anos, a Austrália ficou completamente separada dos outros continentes devido aos movimentos das placas tectônicas. Como resultado, as formas de vida na Austrália seguiram seus próprios padrões evolucionários com quase nenhuma mistura com espécies de fora por milhões de anos.

No momento da separação, as mesmas espécies que viviam na Austrália também viviam em outras partes do mundo mas, durante muitas gerações, as populações separadas evoluíram de forma diferente. Isso se deve à diferença do local onde viveram, do clima, dos predadores e de outras circunstâncias.

Galeria de imagens da evolução (em inglês)­

­


Southern flying squirrel
Norbert Wu/Science Faction/Getty Images
Esquilos voadores evoluíram a partir de um roedor primitivo. Eles compartilham as mesmas características básicas com os marsupiais voadores.

Como essas espécies evoluíram em diferentes direções, algumas variações interessantes apareceram tanto entre as espécies australianas isoladas quanto nas espécies que evoluíram no resto do mundo. Os cangurus, por exemplo, têm aparência diversa e são diferentes de quase tudo que você pode encontrar fora da Austrália. Mas, ainda mais surpreendente para os biólogos, é que algumas espécies com história evolutiva diferente, apresentam quase a mesma aparência.

Por exemplo, um roedor primitivo vivia tanto dentro quanto fora da
Austrália na época da separação. Na Austrália, um ramo de descendentes
desses roedores evoluiu para criaturas que habitam árvores, com uma membrana de pele (Paláto) que se estendem por seu corpo unindo as patas dianteiras às traseiras, o que permite que eles façam vôos planados de uma árvore para outra. São
conhecidos como cuscus voadores. No resto do mundo, os roedores
primitivos evoluíram para um grupo totalmente independente de criaturas com essas mesmas "abas deslizantes" e que
também vivem em árvores - os esquilos voadores.

Como isso pode acontecer? O potencial para desenvolver abas deslizantes já estava presente naqueles roedores primitivos, tornando inevitável que tal animal evoluísse? Ou as pressões de ambos os ambientes fizeram a seleção natural transformar os roedores para uma forma deslizante? E sobre as espécies que nunca foram relacionadas no começo e que, ainda assim, evoluíram para formas surpreendentemente similares?